Treinamento Jboss + Semana em SP

Padrão

Como parte do meu processo pessoal de reposicionamento de mercado sofrido em 2012, resolvi fazer um treinamento de 3 dias em SP e permanecer lá pelo restante da semana para conhecer novas empresas e fazer contatos diferentes. Desta forma, exato um ano após fazer um treinamento em São Paulo, retornei para mais uma experiência na terra da garôa.

Vista da Green Treinamentos @ Av. Paulista

Vista da Green Treinamentos @ Av. Paulista

Como já era de meu interesse fiz o treinamento de Jboss: Arquitetura e Administração da Dextra Sistemas. O treinamento ocorreu na avenida paulista na sede da Green Treinamentos. O instrutor da Dextra, muito capaz, nos mostrou os macetes e a base da administração de servidores de aplicação Jboss, a turma era bastante heterogênea, o que fez da experiência educacional algo ainda mais interessante. Os laboratórios práticos, os cases de clientes e exemplos de colegas do curso foram extremamente didáticos e serviram para formar meu conhecimento no assunto.

Como da outra vez em que tive tempo livre em SP foi por acidente, desta vez vim preparado para conhecer melhor a cidade, munido da minha carteira de estudante (não tinha terminado a pós ainda) e com um mapa das linhas de metrô no bolso iniciei minha aventura.

Pavilhão Japonês

Pavilhão Japonês

Parque Ibirapuera – Notei que o local é abstract socioeconômico da cidade, onde amostras das tribos locais se relacionam. Dentro da megaestrutura existem inúmeros locais de visitação, como o museu de arte moderna, o futurístico auditório ibirapuera projetado por Niemeyerer, o bosque da leitura, um gigante viveiro de plantas, e na sua externa fica ainda o monumento às bandeiras. Mas o destaque fica para o Pavilhão Japonês, a réplica de uma típica propriedade nipônica com pátio repleto de árvores características, um lago com carpas orientais, bem como uma casa com armaduras e outros objetos samurais.

Vista do Terraço Itália

Vista do Terraço Itália

Terraço Itália – Um dos melhores pontos da capital paulista, no topo do Edifício Itália, um dos, senão o mais alto prédio de São Paulo. Trata-se de um restaurante panorâmico envolto em vidros com arquitetura retrô que possibilita uma visão privilegiada da cidade. Dada sua presença unânime nos guias de SP, resolvi conhecer o local. Os valores não são convidativos, mas o ambiente, a vista e clima do local concerteza fazem valer a pena.

 

Estação da Luz

Estação da Luz

Estação da Luz – Um dos cartões postais da cidade antiga, esta estação é o gateway para diversas linhas do metrô e possui uma incrível estrutura baseada na torre do Big Ben e na catedral de Westminter. Anexo à estação está o Museu da Lingua Portuguesa, um templo high tech ao nacionalismo a lá Mussolini, repleto de citações midiáticas e interativas sobre a cultura brasileira (futebol, carnaval, etc). Nos entornos da estação estão ainda o Jardim da Luz e a Pinacoteca.

 

Igreja Nova Semente

IASD Nova Semente – No coração da cidade, em parelelo à Av. Paulista, a comunidade urbana possui um oásis para reflexão e busca de Deus. No sábado visitei a Nova Semente em duas oportunidades, pela manhã na programação Comunidade, e pela noite no programa Conexão com a presença do grupo Artpella (sim, aqueles que ganharam o programa Astros). Com uma infraestrutura invejável os programas são inspiradores, e a banda é incrível, composta por músicos de primeira.

 

Catedral da Sé

Catedral da Sé

Catedral da Sé – Com uma arquitetura inspirada nas grandes catedrais medievais, situada em frente à Praça da Sé, esta igreja possui diversos mosaicos trazidos diretamente da Europa e é considerada uma das maiores existentes na atualidade. Seu órgão de 12 mil tubos é o maior da América Latina. Tive a sorte ainda de assistir parte do ensaio da orquestra local. A catedral foi construída sobre uma cripta subterrânea que possui horário marcado para visitação, mas isso ficou para uma próxima viagem.

 

Mercado Municipal

Mercado Municipal – Sempre ouvi falar, e resolvi conferir como é. O “mercado” fica no centro antigo da cidade, e abriga variado varejo de produtos alimentícios, desde carnes, verduras, frutas, vegetais exóticos, etc. Salvo de todo o odor deste mix de perecíveis, no segundo andar existe uma praça de alimentação com restaurantes tradicionais do local #ficadica.

 

.

Masp

MASP – O Museu de Arte de São Paulo, com uma estrutura de vários andares sobre e também no subsolo, abriga obras de artistas como Van Gogh e Picasso bem como exposições itinerantes. E para minha sorte pude apreciar uma exposição incrível sobre Roma, com armas, documentários, armaduras e estátuas alusivas à Roma Antiga. No térreo do MASP no domingos existe uma feira de antiguidades, onde pude ainda comprar algumas moedas antigas nacionais e internacionais.

 

Livraria Cultura

Livraria Cultura

Livrarias – Em meio as caminhadas entre os pontos da cidade, e de metrô em metrô, não existem locais para descansar os pés melhores do que as livrarias em SP. Lojas como a da Livraria Saraiva, Livraria Cultura e Fnac oferecem ambientes sensacionais em seu showroom de livros e eletrônicos, onde pude ler um capítulo do livro Conceitos de Linguagens de Programação em um sofá confortável em frente de uma TV full hd assistindo algum desses standup comedies genéricos (obs: o livro é muito bom).

 

Loja da Teodoro Sampaio

Loja da Teodoro Sampaio

Rua Teodoro Sampaio – O paraíso dos músicos! Uma rua repleta de lojas especializadas em instrumentos em ambos os lados da via. Berço de impérios de música como Gang, Tango, Hendrix Music, e Made in Brazil a rua possui diversas lojas especialistas em alguns segmentos musicais, ou genéricas. Existem ainda galerias e verdadeiros shoppings de lojas com salas específicas para pianos, para cordas, acústicos, tecnologia musical, etc. Mas ao contrário do que eu imaginava, lá não é um local para se comprar algo, mas sim para artistas profissionais encontrarem tudo o que desejam de última hora por um alto preço.

Vila Olímpia

Vila Olímpia – Após alguns metrôs subterrâneos e trens de superfície cheguei no “vale do silício” paulistano, o bairro que abriga grandes coorporações da tecnologia como Google, Microsoft, Facebook, Motorola, Intel, e escritórios de gigantes como Camargo Corrêa, Santander, Chrysler e Gol. É um importante centro financeiro da cidade e fruto da decentralização urbana de SP. Uma moderna zona que possui mais helipontos do que pontos de ônibus, e extremamente estereotipada pelos executivos e estagiários engravatados andando a 300bpm.

Para conhecer a cidade indico sites como SP para Iniciantes e Cidade de SP.

Ginga Brasil – PUC-Rio

Padrão

A fim de impulsionar o uso da Linguagem NCL e do Ginga, middleware brasileiro de interatividade de TV Digital, o laboratório TeleMidia da PUC-Rio, grupo responsável pelo desenvolvimento destas tecnologias criou o programa Ginga Brasil. Este programa consiste em uma capacitação em Desenvolvimento de Conteúdo Audiovisual Interativo para o Ginga-NCL formando multiplicadores que compartilharão o conhecimento em programação com NCL pelo país.

A capacitação inicial, onde seriam treinados os multiplicadores ocorreria na PUC-Rio com os próprios responsáveis pelo Ginga-NCL do laboratório TeleMidia. E visando aprofundar meus conhecimentos em NCL e difundir a tecnologia em nossa região resolvi participar inscrevendo dois alunos meus (Leonardo Thizon Waterkemper e Vitor Freitas Santos), e para a nossa alegria fomos selecionados para o programa.

Ao descermos no Rio de Janeiro pegamos um taxi-contador-de-histórias-guia-turístico que nos mostrou vários pontos turísticos da cidade, praias e detalhes de suas amizades com artistas globais, o que transformou uma viajem de poucos minutos em uma recepção agradável que nos prepararia para os próximos dias. Ao chegarmos nas dependências da PUC na Gávea logo percebemos uma grande movimentação, átipica para nossos padrões, visto que era período vespertino em uma universidade em época de férias, realmente estávamos em um ambiente novo. Após atravessarmos o saguão dos pilotis, local que serviu de cenário para cenas do filme Tropa de Elite, chegamos no laboratório TeleMídia, onde fomos gentilmente recebidos pelo prof. Luiz Fernando Gomes Soares e seu time de alunos.

Leonardo, Vitor, Prof. Luiz Fernando, Ranieri

Leonardo, Vitor, Prof. Luiz Fernando, Ranieri

Nos dias seguintes participamos do treinamento de 40 horas juntamente com participantes de todo o país. Todo o curso foi ministrado pelo próprio prof. Luiz Fernando, apelidado no Brasil como o “pai do Ginga”, uma figura muito carismática que com o auxílio dos seus alunos que trabalham no TeleMidia conduziu com primor o treinamento, motivando e ensinando os futuros multiplicadores sobre as funcionalidades da linguagem NCL. Com exercícios claros e com uma didática exemplar o prof. Luiz Fernando conduzia a aula enquanto sua equipe de alunos do TeleMidia servia à turma como monitores, sempre muito solícitos em ajudar e demonstrando muita fluência no tema.

Como ficamos hospedados na PUC-Rio pudemos participar do dia a dia da universidade. Uma ótima experiência, pois convivemos em um ambiente acadêmico em época de férias, que não parou por um só segundo. Era comum encontrarmos alunos estudando, pesquisando e trabalhando em seus projetos até altas horas. Na mesma época ocorriam outros dois ou três eventos, a equipe de robótica não parava de trabalhar, e haviam estudantes por todo o lado trabalhando e estudando, algo realmente inspirador.

Já que no final de semana tivemos tempo livre, aproveitamos para conhecer a cidade do Rio. No sábado fui na histórica IASD do Botafogo, no Parque Laje, na Casa de Rui Barbosa, passei pela Lagoa Rodrigo de Freitas, e em algumas praias como a de Copacabana, Ipanema e do Leblon. E junto com meus alunos, no domingo fizemos uma expedição entre taxis e vans, e chegamos ao Cristo Redentor.

Conhecer o Rio de Janeiro e participar de um treinamento do próprio laboratório TeleMidia, aprendendo com profissionais que estudei, li e utilizei suas publicações em trabalhos anteriores realmente foi uma experiência incrível. Porém, o grande destaque foi ter a experiência de conviver e conhecer de perto a equipe do laboratório. Neste curso não aprendemos apenas o conteúdo, mas recursivamente aprendemos a ensinar, com o exemplo de dedicação e cidadania impresso pelo prof. Luiz Fernando e sua equipe unindo liderança, conhecimento e humildade.

Curso de JSF2+CDI – Caelum – SP

Padrão

Buscando minha capacitação profissional em Java, em abril de 2011 fui à São Paulo na Caelum realizar o curso FJ-26 – Laboratório Web com JSF e CDI. Procurei o curso pois gostaria de me atualizar quanto ao framework JSF na versão 2 e também para conhecer a abordagem CDI. Escolhi a Caelum devido ao seu nome ligado ao Java no país e também pela qualidade das suas apostilas disponibilizadas gratuitamente na internet.

“Dito e feito”, o material do curso é excelente, os exemplos e a metodologia. Porém como professor que sou não acredito que o sucesso no ensino seja como uma corrida de Fórmula 1, onde o fator decisivo não é tanto a técnica e a qualidade do piloto, mas sim a tecnologia e a força da escuderia. O mesmo aplico ao curso, de nada adiantaria toda a qualidade da “escuderia” Caelum se não fosse a maestria do “piloto/instrutor” Erich Egert. De forma muito clara soube expor as situações problema, e dominando como tal a tecnologia transformou um “curso de Java” em uma aula sobre como ensinar Java.

Parabéns à todos da Caelum que me atenderam muito bem e principalmente à equipe responsável pelos treinamentos e materiais bem como ao grande instrutor Erich. Recomendo fortemente a Caelum para quem deseja se capacitar profissionalmente na área de tecnologia.

Metrô @ SP

Metrô @ SP

Dados alguns problemas com datas e passagens fiquei mais alguns dias em São Paulo, assim aproveitei para conhecer melhor a cidade, e fui à lugares que julguei interessantes porém talvez não muito convencionais:

Mosteiro de São Bento – Linda greja com arquitetura gótica que abriga um relógio histórico e um órgão com mais de 6 mil tubos.

Zoo @ SP

Zoo @ SP

Zoológico de São Paulo – O maior zoo do Brasil e o quarto maior do mundo. Uma estrutura imensa no Jabaquara expondo diversos animais. Porém ao contrário do que o site dizia, não encontrei os suricatos lá.

Centro Histórico – Passei pelo Vale do Anhangabaú, Largo São Bento (citado acima), Largo da Memória, etc. Uma zona interessante repleta de edifícios antigos, os primeiros do país.

Passei também por várias estações de metrô, em uma cheguei até a tocar piano em uma das estações, conheci a avenida paulista e apreciei a gastronomia da rua augusta, e mesmo após ir ao aeroporto errado na volta, cheguei são e salvo em casa.

 

Escola de Verão do INPE

Padrão

Dos dias 10 a 13 de fevereiro de 2009 estive em São José dos Campos – SP para participar do ELAC 2009, Escola de Verão do Laboratório Associado de Computação e Matemática Aplicada (LAC) do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE). O evento anual de altíssimo nível, e que proporcionou aos participantes a oportunidade de conhecerem as instalações do INPE e os projetos desenvolvidos na área computacional nas ciências espaciais.

Laboratório de Integração e Testes Espaciais

Laboratório de Integração e Testes Espaciais

Foram oferecidos oito mini-cursos ministrados pelos pesquisadores envolvidos no LAC, dos quais poderiam ser escolhidos no máximo quatro. Me inscrevi nos cursos de Introdução à Mineração de Dados com Aplicações em Ciências Espaciais, Logística com Sistemas de Informações Geográficas e Visualizadores WEB, Tópicos de Inteligência Computacional Aplicados em Tecnologias Espaciais e Análise Computacional de Processos Não-Lineares em Ciências Ambientais e Espaciais.

– O curso de Introdução à Mineração de Dados com Aplicações em Ciências Espaciais foi ministrado pelo Prof. Rafael Santos, exímio conhecedor do assunto, que apresentou com bastante dinamismo e entusiasmo os processos de mineração de dados, técnicas, algorítmos e visualizadores, aplicados às ciências espaciais com um foco no final do curso em mineração de dados multimídia.
– Infelizmente não foi possível o Prof. Luiz Antônio Lorena realizar o curso de Logística com Sistemas de Informações Geográficas e Visualizadores WEB, em seu lugar o Prof. José Demisio da Silva coordenador do LAC ministrou o curso de Introdução à Redes Neurais Artificiais. De um modo bastante trivial (palavra que o próprio gosta de proferir) o Prof. Demísio apresentou os modelos de redes neurais e de aprendizagem, ao final deixando a cargo dos seus alunos de pós-graduação apresentarem seus projetos baseados em redes neurais artificiais.
– O Prof. Demísio também ministrou o mini-curso de Tópicos de Inteligência Computacional Aplicados em Tecnologias Espaciais apresentando as técnicas de inteligência artificial abrangendo a representação do conhecimento, sistemas especialistas, lógica fuzzy, agentes, redes neurais e algoritmos evolutivos com aplicações nas ciências espaciais.
– Por fim o Prof. Reinaldo Roberto Rosa, responsável pelo evento ministrou o curso de Análise Computacional de Processos Não-Lineares em Ciências Ambientais e Espaciais apresentando as diversas técnicas de análise de dados de fenômenos naturais.

Foi uma oportunidade ímpar não apenas pelo conhecimento obtido nos minicursos com pesquisadores extremamente capacitados, mas também pela experiência de conhecer as próprias dependências do INPE como o museu de aeroespacial, o centro de testes de satélite e tantas outras estruturas de vanguarda tecnológica e científica.