Mestrado Finalizado

Padrão

Finalizado o meu curso de mestrado em Tecnologias da Informação e Comunicação pela Universidade Federal de Santa Catarina. Meu projeto de dissertação intitulado “A TV Interativa como Interface para a Experimentação Remota” foi orientado pela professora Dra. Eliane Pozzebon e coorientado pelos professores Dra. Luciana Bolan Frigo e Dr. Roderval Marcelino.

Capítulo do Livro “Tecnologias da Informação e Comunicação”

Padrão

No livro “Tecnologias da Informação e Comunicação: Pesquisa e Inovação”, que reúne diversos artigos ligados com a Tecnologia Computacional, Tecnologia Educacional, Gestão e Inovação, há um artigo meu, publicado em parceria com os meus orientadores de mestrado.

Acesso ao livro completo (11.3MB – PDF)

Desenvolvimento de uma arquitetura para o acesso a experimentos remotos via TV digital interativa

Ranieri Alves dos Santos
Eliane Pozzebon
Luciana Bolan Frigo
Roderval Marcelino

RESUMO

Este capítulo trata do desenvolvimento de uma arquitetura para utilizar a TV digital interativa como interface para acessar experimentos remotos pela TV no âmbito educacional, amparado na atual evolução das TIC`s e pela convergência digital dos equipamentos de telecomunicação, bem como na necessidade por aplicações interativas para dinamizar e universalizar o conhecimento por meio de abordagens pedagógicas baseadas na experimentação. O trabalho foi baseado em estudos teóricos sobre a aplicabilidade da experimentação remota na educação, bem como nas tecnologias disponíveis nos sistemas de TV digital para prover a interatividade. Com base neste método, o trabalho resultou no design de uma arquitetura tecnológica para prover a interatividade entre o aluno em sua TV digital com o laboratório de experimentação remota. O uso da TV digital na educação aliado a laboratórios remotos, provê um ambiente interativo para o acesso aos experimentos utilizando dispositivos simples como a TV e o controle remoto, transformando simples equipamentos em poderosas ferramentas educacionais, que se tornam viáveis graças as mudanças atuais das telecomunicações.

PALAVRAS-CHAVE: tv digital, experimentação remota, interatividade.

Minha Experiência com o Uber

Padrão

Após muita polêmica podemos dizer que o Uber já está inserido e estável no Brasil. Infelizmente o serviço está disponível apenas nas maiores cidades do país, sendo que mesmo assim ainda há alguma resistência por parte dos taxistas com relação ao serviço. Muito tem se falado sobre o Uber e sobre as perseguições e proibições que tanto os motoristas quanto os usuários já foram expostos, por isso em nossa recente viagem à São Paulo resolvemos conhecer o serviço.

O que é?

O Uber é uma empresa americana de serviços de transportes que está se expandindo pelo mundo todo. Basicamente qualquer motorista capaz de atender as exigências da empresa pode se associar ao Uber e atender aos clientes que solicitam o serviço. Todo o serviço é baseado no aplicativo para celulares, onde o cliente, que já está previamente cadastrado solicita determinada rota e em poucos minutos algum motorista associado ao Uber vai ao encontro do mesmo. O serviço é muito seguro pois tanto o motorista quanto o cliente não trocam ou portam valores em dinheiro, pois toda a transação é realizada com base nas contas do Uber em seus aparelhos celulares.

Como funciona?

Toda a operação é extremamente simples, o cliente, portando um celular com o aplicativo instalado solicita a viagem com base na localização atual. Após a solicitação, o cliente escolhe entre as várias opções, como o UberBlack (serviço de mais alto nível), UberPet (aceita animais), ou o UberX, o serviço mais em conta.

No momento da solicitação é possível verificar uma prévia do preço que será pago pela viagem, após isso é possível efetuar a solicitação. Instantaneamente a central do Uber seleciona o carro da categoria escolhida mais próximo e o envia à você, já com o preço máximo da viagem definido. Sendo assim, nos resta apenas esperar o carro no ponto em que solicitamos. Enquanto isso o aplicativo exibe a marca, placa e modelo do carro que irá lhe buscar, bem como a foto e o nome do motorista. Quando o carro está prestes a chegar o aplicativo mostra um alerta e logo o motorista, sempre muito solícito chega para o resgate.

Durante a viagem o motorista oferece água, balas e as demais comodidades que o carro da categoria podem oferecer. Ao iniciar o trajeto o motorista confirma o seu destino e pergunta se pode seguir a rota proposta pelo aplicativo Waze (o Uber dos motoristas já é integrado ao Waze). Ao chegar no destino, os motoristas sempre buscaram nos deixar no local mais seguro possível e antes de sairmos do carro eles já finalizavam a viagem em seu aplicativo, com isso a viagem é fechada e o valor debitado do cartão de crédito.

Em uma das viagens gostaríamos de passar por uma rota um pouco diferente e o motorista sem pestanejar nos atendeu, sem acréscimos ao valor máximo da viagem.

Ao abrir o nosso próprio aplicativo Uber é exibida uma tela de avaliação, onde temos que classificar o serviço do motorista da última viagem. Caso um motorista receba muitas avaliações negativas ele é afastado do Uber. Obviamente o motorista ao final da viagem também nos avalia, afinal a segurança do Uber é para ambos os lados.

Impressões sobre o serviço

Em suma, todo o serviço do Uber é muito eficaz. Além de extremamente seguro, é muito rápido ser atendido por um motorista, o máximo que ficamos esperando por um carro foi cerca de 7 minutos, a cidade de São Paulo já está carregada de carros do Uber. O serviço é muito assertivo, se você solicitou uma viagem do lugar X ao lugar Y, você chegará lá pela melhor rota e você não corre o risco de dar aquelas “voltinhas” típicas de alguns taxistas. O valor máximo é fixo, então você tem o controle de quanto custará aquela viagem, evita surpresas e você não fica na mão do motorista, é o próprio Uber que define o valor, que em geral custa cerca de metade do valor de uma corrida normal de taxi.

Dada a atual crise que o Brasil vem passando, a esmagadora maioria dos motoristas do Uber que nos atenderam eram novos no serviço. Muitos já haviam perdido seus antigos serviços e dada a natureza emergente do Uber resolveram investir neste ramo. Todos eles alegaram estar enfrentando uma fase muito boa agora que são “Uber’s”. Porém, nem todos eles tinham experiência sólida com o trânsito, tampouco já foram taxistas, o que cai em um dos únicos pontos negativos que encontramos no Uber em São Paulo: os motoristas não possuem aquele “approach” de taxista paulista.

Quando você entra em um taxi em uma grande cidade, você pode ter certeza que ele sabe como chegar no lugar que você quer chegar

Independente de como você explicar, o taxista, em geral, possui muita experiência e sabe os melhores caminhos, sabe se guiar por ruas, números, GPS, pontos de referência, etc. Eles sabem dar dicas de locais, restaurantes, horários, hotéis e pontos turísticos. Porém você estará sujeito a toda aquela “cultura do taxi”, onde o motorista define tudo, inclusive quantas voltas vai dar até chegar no local.

Essa expertise no trânsito nem todos os motoristas do Uber nos conseguiram demonstrar. Mas na verdade eles nem precisam, pois o aplicativo já sugere as rotas baseando-se no Waze. Sendo assim, a satisfação do usuário é garantida, pois o valor e a qualidade do serviço compensam qualquer possível inconveniente.

Bônus – Primeira Viagem Grátis

Já que você leu o post até o final, que tal ganhar um desconto de até R$15 em sua primeira viagem com o Uber? Isso mesmo, sua primeira viajem com o Uber poderá sair de graça!

Para isso, basta se cadastrar no Uber neste link, ou utilizando o aplicativo, antes da sua viagem utilize o código promocional uberRanieriue, assim você já sai ganhando R$15 para a primeira vez que você for utilizar o Uber.

Remote Experimentation Model Based on Digital TV

Padrão

My paper presented by me on 3rd Experiment@International Conference (exp.at’15) at University of Azores in Ponta Delgada, São Miguel Island, Azores Archipelago, Portugal. Published by IEEE Xplore.

Remote Experimentation Model Based on Digital TV

Ranieri Alves dos Santos
Eliane Pozzebon
Luciana Bolan Frigo
Roderval Marcelino

Abstract

This paper proposes the use of interactive digital TV as interface to access laboratories of remote experiments, since remote laboratories can supply necessities of experiments use in many knowledge areas and digital TV enables interactive applications. The main propose written in this paper was based on the functions of interactive digital TV systems as well as on the remote experiments’ peculiarities, based on the multiple intelligences theory and in patterns of interactivity of digital TV system. The resulting model of this paper guides implantation of interactive TV’s applications to access remote experiments and aims offering multiple alternatives of individual learning covering three of Gardner’s multiple intelligences in an interactive environment of remote experimentation based only in the use of remote control, integrating broadcast industry to education environment.

Keywords: Digital TV; Remote Experimentation; Interactivity;

Entrevista sobre TV Digital para a UnisulTV

Padrão

No dia 21/11/2013 foi ao ar na UnisulTV, a minha entrevista sobre TV Digital no programa Ciência e Pesquisa do Prof. Dr. Gilson Rocha Reynaldo. Foi uma honra participar do programa, onde pudemos discutir sobre o papel da TV Digital na sociedade brasileira e sanar algumas dúvidas sobre a digitalização da TV. Por coincidência, semanas após a exibição, a nossa cidade recebeu o sinal de mais um canal de TV digital. Sendo assim o programa cumpriu com o seu papel de trazer à tona este tema para a comunidade.

Seguem abaixo os três blocos do programa:

Bloco 1:

Bloco 2:

Bloco 3:

Viajem SP + DVD Princípio

Padrão

Complexo WTCCom o anúncio da gravação do DVD Princípio do Leonardo Gonçalves, em São Paulo, rapidamente eu e meu irmão nos organizamos para prestigiar este evento, que tinha tudo para ser marcante. Afinal, seria o primeiro DVD do Leonardo, que agora faz parte do casting da Sony Music, e em um grande teatro, com certeza seria incrível. Minutos após o início da venda do primeiro lote de ingressos e já tínhamos garantido nossos lugares em uma das frisas do Teatro Bradesco.

Conseguimos uma boa promoção nas passagens e aproveitamos para conhecer um pouco melhor a cidade, indo dias antes, fui em locais novos e mostrei outros pontos de São Paulo que já conhecia  para o meu irmão Renan.

Banda Nova Semente

No SÁBADO, a nossa aventura obviamente iniciou com a ida à IASD Nova Semente. Como descemos no metrô da Avenida Paulista, aproveitamos para conhecer a Paróquia Jesuíta que fica no início da avenida, e passamos também pelo palacete da Casa das Rosas. Assim que chegamos na igreja, fomos muito bem recebidos pelo Jother, que nos aconchegou em sua classe de discipulado, onde passamos bons momentos. Ao iniciar o louvor do culto, na programação da comunidade, já sentimos um gostinho do que seria o DVD, já que o pianista da igreja seria também o pianista no DVD. Grande banda essa, grandes músicos!

Terminado o culto fomos à casa do nosso novo amigo e irmão Jother com sua família e amigos, onde passamos ótimos momentos à mesa servidos de um saboroso almoço de sábado. Ao final do dia ainda, fomos novamente à Nova Semente, assistir ao Programa Viva – Uma Experiência Real, com o Pr. Kleber Gonçalves. Que inclusive nos fez pensar se realmente havíamos ido à Nova Semente porque tínhamos ido ao DVD, ou se estávamos indo ao DVD porque íamos à Nova Semente (?).

Como tivemos um bom tempo planejando esta viajem, foi possível organizar nossas refeições para usufruirmos de boas opções. Sendo assim, jantamos no sábado o “Ultimate Nachos” do The Joy em Higienópolis, próximo à Makenzie.

Memorial da Resistência @ DEOPS/SP

No DOMINGO, no momento em que estávamos revisando o roteiro do dia, o Renan por acidente vê por acaso um tweet do PC Baruk, de que ele estaria se apresentando próximo ao metrô Praça da Árvore. Rapidamente revisamos nosso itinerário e nos organizamos para estar lá no horário.

Iniciamos nosso tour pela região da Luz, passamos pela Estação Júlio Prestes, Parque da Luz, Pinacoteca do Estado e pelo Memorial da Resistência, a antiga sede do DEOPS, onde ficaram presos os inimigos da ditadura militar.

Baruk ao Xilofone

De lá a partir da Estação da Luz, nos dirigimos à estação Praça da Árvore. Após alguma caminhada chegamos ao Espaço SuperNova, do “Projeto Redenção”, onde o Baruk se apresentaria. Da rua já podíamos ouvir a congregração cantando Mais que uma Voz, e em uma apresentação de Piano & Voz + Violão + Xilofone (!) assistimos o seu concerto e conhecemos um pouco melhor sobre o projeto do Espaço SuperNova. Lá fomos extremamente bem recebidos e apresentados à comunidade pelo próprio Baruk. Terminada essa experiência, fomos então ao Parque da Independência, um complexo cultural cortado pelo Riacho do Ipiranga, onde (supostamente) foi dado o “grito da independência”. O parque abriga o Museu do Ipiranga, um palácio que até então eu pouco tinha conhecimento, mas que possui diversos artefatos históricos do tempo do império, dentre eles o próprio quadro Grito do Ipiranga, de Pedro Américo. Dentro do complexo existe ainda um imenso jardim e em sua extrema o Monumento à Independência do Brasil, que possui ainda uma cripta subterrânea onde está o túmulo de D. Pedro I.

Após o parque, fomos para a Avenida Paulista, na feira de antiguidades do MASP que ocorre aos domingos de onde saí com novas e antigas (ou antigas novas) moedas, e de lá partimos para o Parque do Ibirapuera com as nossas bikes emprestadas do programa Bike Sampa / Itaú. Chegamos no parque ao pôr-do-sol e aproveitamos as ciclovias para então voltarmos ao hotel. Ao final, jantamos no que era para ser um tradicionalíssimo restaurante italiano “La Farina”. Mas segundo comentários recentes e de acordo com a nossa própria experiência, parece que ele não é mais tão bom quanto outrora.

SEGUNDA-FEIRA visitamos a região do Anhagabaú e o Centro Antigo de SP. Já tínhamos marcado nossa visita ao Edifício Martinelli, que desde a minha primeira ida à SP tive vontade de conhecer. Fomos muito bem recebidos em uma visita guiada, onde nos foi apresentada toda a história do prédio. Do incrível terraço, que servia de casa para a família Martinelli, já avistamos o nosso próximo destino: Edifício Altino Arantes, o Banespão. Este que é maior, mais imponente, mas não tão charmoso quanto o excêntrico Martinelli.

Terraço do Shopping Vila Olímpia

Cruzamos rapidamente o centro antigo, por trás da 25 de março para chegar ao Mercado Municipal de onde fomos rumo ao Itaim Bibi para conhecer a tão falada “Hamburgueria Nacional“. Nosso almoço não decepcionou, realmente o ambiente, as opções e os hamburguers lá são incríveis! Estando nas redondezas, fomos ao Shopping Vila Olímpia, que possui um terraço super confortável para descanso, onde tiramos uma sesta nos sofás-cama. Acordamos, recarregamos as energias no Hooters e fomos para a região do Berrini conhecer o complexo WTC e a Ponte Estaiada. Terminada nossa aventura neste lado da cidade, voltamos ao centro para finalizar o dia no “Moraes, o Rei do Filé“. Ao ler os comentários do local, já sabíamos que não teríamos um bom atendimento, mas resolvemos correr o risco, afinal era um restaurante de 99 anos (sim, quase 100), especialista em mignon, onde Adoniran Barbosa escreveu a música “Trem das Onze”. O local é de 1914 mas parou nos anos 80, possui um gerente-coronel, atendimento apático, caixa-registradora, etc… Mas nas paredes, entre os azulejos estão pendurados vários os prêmios do restaurante. E quanto aos filés: realmente, valem a pena a ida!

Rua Oscar Freire

TERÇA-FEIRA, nosso último dia, realmente prometia. Começamos com aquele tour musical pela rua Teodoro Sampaio, recheada de lojas de instrumentos. Como nosso objetivo era almoçar na Augusta, fomos à pé pela rua Oscar Freire. Já na rua Augusta, almoçamos na galeria Vila San Pietro. Como era nosso último dia, e justamente “o dia” da gravação do DVD, tínhamos pouco tempo, e alguns lugares para visitar. Então, rapidamente voltamos ao centro para visitar a Cripta da Catedral da Sé, uma mini-capela subterrânea, onde estão enterradas grandes personalidades do país, como o Padre Bartolomeu Gusmão (inventor do balão voador).

Edifício Itália visto do Copan

Ainda no Centro Antigo, visitamos outros dois prédios, o Copan, e o Edifício Itália. No Copan também há horário de visita, e é acompanhado de um segurança. Na nossa visita tivemos a companhia de alguns fotógrafos old school. O interessante da visita, é que assim como o Banespão e o Martinelli, o Copan e o Itália são bem próximos, o que proporciona uma boa vista de um para o outro.

Como já estávamos em contagem regressiva para o concerto de gravação, aproveitamos o pouco tempo que nos restava para conhecer o Ponto Chic (não é do Almeci de Imbituba-SC), o local onde foi criado o Bauru, o mais brasileiro dos lanches. Segundo a história, um estudante de Bauru-SP apelidado como “Bauru” entre os frequentadores do local pediu nesta lanchonete um sanduíche com rosbife, tomate, pepino e queijo. Os presentes no local gostaram da ideia, e pediram “um igual ao Bauru”, e ali nasceu o famoso lanche.  O “Bauru Original” realmente não decepciona, é muito bom!

Após algumas estações de trem, metrô e táxi, finalmente chegamos ao Bourbon, o shopping que abriga o Teatro Bradesco, local da gravação. Passado algum tempo de espera e uma fila gingante, entramos no teatro. A estrutura da sala impressiona! Por chegar cedo, pudemos escolher os melhores locais entre as frisas do primeiro andar visando melhor acústica e visualização, no melhor estilo Sheldon. Aos poucos o teatro lotou, as luzes apagaram, e foi anunciado o início da gravação do primeiro DVD do Leonardo Gonçalves: Princípio.

Com as cortinas ainda fechadas, o sistema de som da sala começa a tocar as primeiras notas do piano rhodes e as frases da música Sublime, e no momento em que toda a banda “entra na música”, as cortinas se abrem. Em meio à muitos aplausos, a plateia pôde ver o incrível cenário do palco, coroado pela participação dos quatro membros da banda. O batera munido de uma Ludwig, de frente para os dois nords do pianista, tendo na parte de trás atrás dois amplis Fender para o guitarrista e um Ampeg para o baixo.

No repertório, músicas dos quatro CD`s e algumas inéditas, nas teclas, timbres de piano acústico, rhodes, hammond e clavinet. Por ser uma banda reduzida, boa parte das músicas contaram com mudanças em suas nuances, um bom exemplo é a música There, que teve a participação do Duca Tambasco tocando baixo acústico. O concerto contou ainda com a participação da Daniela Araújo, esposa do dono do show, e de uma super equipe no vocal da música Getsêmani.

A gravação como um todo teve pouquíssimas paradas, e apenas duas músicas tiveram que ser regravadas, obviamente que ninguém reclamou. O concerto terminou com o Leonardo cantando a música Princípio e Fim, com a sua esposa, e ao saírem do palco, a banda continuou fazendo um instrumental brilhante.

Nos resta agora esperar pelo lançamento do DVD/Blu-ray!

Cripta da Catetral da Sé Gravação do DVD Princípio Casa das Rosas Edifício Copan Banespão visto do Edifício Martinelli Edifício Copan Ponte Estaiada Edifício Martinelli Parque da Independência Museu do Ipiranga Ranieri e Renan @ Parque da Luz Masp @ Av. Paulista

Treinamento Jboss + Semana em SP

Padrão

Como parte do meu processo pessoal de reposicionamento de mercado sofrido em 2012, resolvi fazer um treinamento de 3 dias em SP e permanecer lá pelo restante da semana para conhecer novas empresas e fazer contatos diferentes. Desta forma, exato um ano após fazer um treinamento em São Paulo, retornei para mais uma experiência na terra da garôa.

Vista da Green Treinamentos @ Av. Paulista

Vista da Green Treinamentos @ Av. Paulista

Como já era de meu interesse fiz o treinamento de Jboss: Arquitetura e Administração da Dextra Sistemas. O treinamento ocorreu na avenida paulista na sede da Green Treinamentos. O instrutor da Dextra, muito capaz, nos mostrou os macetes e a base da administração de servidores de aplicação Jboss, a turma era bastante heterogênea, o que fez da experiência educacional algo ainda mais interessante. Os laboratórios práticos, os cases de clientes e exemplos de colegas do curso foram extremamente didáticos e serviram para formar meu conhecimento no assunto.

Como da outra vez em que tive tempo livre em SP foi por acidente, desta vez vim preparado para conhecer melhor a cidade, munido da minha carteira de estudante (não tinha terminado a pós ainda) e com um mapa das linhas de metrô no bolso iniciei minha aventura.

Pavilhão Japonês

Pavilhão Japonês

Parque Ibirapuera – Notei que o local é abstract socioeconômico da cidade, onde amostras das tribos locais se relacionam. Dentro da megaestrutura existem inúmeros locais de visitação, como o museu de arte moderna, o futurístico auditório ibirapuera projetado por Niemeyerer, o bosque da leitura, um gigante viveiro de plantas, e na sua externa fica ainda o monumento às bandeiras. Mas o destaque fica para o Pavilhão Japonês, a réplica de uma típica propriedade nipônica com pátio repleto de árvores características, um lago com carpas orientais, bem como uma casa com armaduras e outros objetos samurais.

Vista do Terraço Itália

Vista do Terraço Itália

Terraço Itália – Um dos melhores pontos da capital paulista, no topo do Edifício Itália, um dos, senão o mais alto prédio de São Paulo. Trata-se de um restaurante panorâmico envolto em vidros com arquitetura retrô que possibilita uma visão privilegiada da cidade. Dada sua presença unânime nos guias de SP, resolvi conhecer o local. Os valores não são convidativos, mas o ambiente, a vista e clima do local concerteza fazem valer a pena.

 

Estação da Luz

Estação da Luz

Estação da Luz – Um dos cartões postais da cidade antiga, esta estação é o gateway para diversas linhas do metrô e possui uma incrível estrutura baseada na torre do Big Ben e na catedral de Westminter. Anexo à estação está o Museu da Lingua Portuguesa, um templo high tech ao nacionalismo a lá Mussolini, repleto de citações midiáticas e interativas sobre a cultura brasileira (futebol, carnaval, etc). Nos entornos da estação estão ainda o Jardim da Luz e a Pinacoteca.

 

Igreja Nova Semente

IASD Nova Semente – No coração da cidade, em parelelo à Av. Paulista, a comunidade urbana possui um oásis para reflexão e busca de Deus. No sábado visitei a Nova Semente em duas oportunidades, pela manhã na programação Comunidade, e pela noite no programa Conexão com a presença do grupo Artpella (sim, aqueles que ganharam o programa Astros). Com uma infraestrutura invejável os programas são inspiradores, e a banda é incrível, composta por músicos de primeira.

 

Catedral da Sé

Catedral da Sé

Catedral da Sé – Com uma arquitetura inspirada nas grandes catedrais medievais, situada em frente à Praça da Sé, esta igreja possui diversos mosaicos trazidos diretamente da Europa e é considerada uma das maiores existentes na atualidade. Seu órgão de 12 mil tubos é o maior da América Latina. Tive a sorte ainda de assistir parte do ensaio da orquestra local. A catedral foi construída sobre uma cripta subterrânea que possui horário marcado para visitação, mas isso ficou para uma próxima viagem.

 

Mercado Municipal

Mercado Municipal – Sempre ouvi falar, e resolvi conferir como é. O “mercado” fica no centro antigo da cidade, e abriga variado varejo de produtos alimentícios, desde carnes, verduras, frutas, vegetais exóticos, etc. Salvo de todo o odor deste mix de perecíveis, no segundo andar existe uma praça de alimentação com restaurantes tradicionais do local #ficadica.

 

.

Masp

MASP – O Museu de Arte de São Paulo, com uma estrutura de vários andares sobre e também no subsolo, abriga obras de artistas como Van Gogh e Picasso bem como exposições itinerantes. E para minha sorte pude apreciar uma exposição incrível sobre Roma, com armas, documentários, armaduras e estátuas alusivas à Roma Antiga. No térreo do MASP no domingos existe uma feira de antiguidades, onde pude ainda comprar algumas moedas antigas nacionais e internacionais.

 

Livraria Cultura

Livraria Cultura

Livrarias – Em meio as caminhadas entre os pontos da cidade, e de metrô em metrô, não existem locais para descansar os pés melhores do que as livrarias em SP. Lojas como a da Livraria Saraiva, Livraria Cultura e Fnac oferecem ambientes sensacionais em seu showroom de livros e eletrônicos, onde pude ler um capítulo do livro Conceitos de Linguagens de Programação em um sofá confortável em frente de uma TV full hd assistindo algum desses standup comedies genéricos (obs: o livro é muito bom).

 

Loja da Teodoro Sampaio

Loja da Teodoro Sampaio

Rua Teodoro Sampaio – O paraíso dos músicos! Uma rua repleta de lojas especializadas em instrumentos em ambos os lados da via. Berço de impérios de música como Gang, Tango, Hendrix Music, e Made in Brazil a rua possui diversas lojas especialistas em alguns segmentos musicais, ou genéricas. Existem ainda galerias e verdadeiros shoppings de lojas com salas específicas para pianos, para cordas, acústicos, tecnologia musical, etc. Mas ao contrário do que eu imaginava, lá não é um local para se comprar algo, mas sim para artistas profissionais encontrarem tudo o que desejam de última hora por um alto preço.

Vila Olímpia

Vila Olímpia – Após alguns metrôs subterrâneos e trens de superfície cheguei no “vale do silício” paulistano, o bairro que abriga grandes coorporações da tecnologia como Google, Microsoft, Facebook, Motorola, Intel, e escritórios de gigantes como Camargo Corrêa, Santander, Chrysler e Gol. É um importante centro financeiro da cidade e fruto da decentralização urbana de SP. Uma moderna zona que possui mais helipontos do que pontos de ônibus, e extremamente estereotipada pelos executivos e estagiários engravatados andando a 300bpm.

Para conhecer a cidade indico sites como SP para Iniciantes e Cidade de SP.

Pós graduação em Ensino de Ciências

Padrão

Neste ano de 2011 finalizei a minha pós graduação lato sensu em Ensino de Ciências pelo Instituto Federal de Santa Catarina (IF-SC). Foi uma experiência interessante conhecer este ramo do saber, e estudar as técnicas de ensino de conteúdos científicos. As disciplinas sequenciais envolviam várias áreas do conhecimento, passando entre a didática, a filosofia, psicologia e diversas outras áreas.

Para minha monografia de conclusão de curso desenvolvi um projeto de pesquisa orientado pelo prof. José Roque Damasco Neto sobre Os Obstáculos Didáticos e Epistemológicos do Ensino de Lógica de Programação, onde pude aplicar à minha área de docência os conhecimentos obtidos com a especialização.

Licenciatura em Educação Profissional

Padrão

Entre os anos de 2010 e 2011 tive o prazer de ser selecionado para participar do Programa Especial de Formação Pedagógica para Formadores da Educação Profissional. Um projeto da Direção Nacional do SENAI que visa capacitar seu corpo docente para o exercício do magistério em ensino técnico e tecnológico.

De acordo com o sistema educacional brasileiro, para exercer a profissão de professor no ensino básico (ensino infantil, fundamental, médio e técnico) é necessário que o docente possua licenciatura, um nível de graduação que habilita o indivíduo para lecionar. Porém, na área técnica e tecnológica, os docentes em geral são graduados como bacharéis em suas áreas do conhecimento, assim, se faz necessário para estes profissionais um curso de licenciatura para bacharéis. Dessa forma, junto ao programa de Formação Pedagógica do SENAI, os participantes são matriculados em um curso de Licenciatura Plena em Educação Profissional ofertado pela UNISUL, que assim habilita plenamente o indivíduo para o exercício da profissão docente nível profissionalizante.

Tal como qualquer graduação, foi necessário um trabalho de conclusão de curso, e para a minha monografia desenvolvi um projeto de intervenção orientado pela professora Flavia Wagner envolvendo A Integração entre Educação e Inovação em uma Instituição de Ensino Profissional, onde criei estratégias de envolvimento entre os projetos da instituição de ensino com os projetos dos alunos obtendo resultados efetivos, envolvendo competições, vagas de estágio, viajens de estudos e publicação de trabalhos.